terça-feira, 13 de dezembro de 2011

"A Bíblia... No Início" (1966)

(The Bible... In The Beginning) De John Huston, Com Michael Parks, Stephen Boyd, Ava Gardner, Richard Harris, Peter O´Tolle, George C. Scott, Franco Nero, John Huston, EUA/Itália - Épico Religioso - Cor - Fox - 1966.

As décadas de 50 e 60 foram as campeãs na realização de filmes épicos religiosos; o público, que sempre prestigiou tais produções, lotavam as salas de exibições, proporcionando dessa forma muito lucro aos estúdios. Muitos desses filmes tornaram-se imortais e hoje são considerados grandes clássicos do cinema, como os colossais; Quo Vadis (1951), O Manto Sagrado (1953), Os Dez Mandamentos (1956), Ben-Hur (1959) e O Rei Dos Reis (1961). Em 1966, o já consagrado diretor John Huston (1906-1987), que trazia em seu currículo grandiosas obras primas como O Falcão Maltês (1941), O Tesouro de Sierra Madre (1948), Uma Aventura Na África (1951) e Os Desajustados (1962), decide filmar aquele que se tornou o último grande épico religioso da era de Ouro de Hollywood, A Bíblia... No Início. Realizado nos estúdios da Cinecittá na Itália e produzido pelo Italiano Dino Di Laurentis (1919-2010), o filme nos traz detalhadamente e fielmente os primeiros 22 capítulos do livro de Gênesis.  Vai desde a criação do universo, Adão e Eva, Abel e Caim, passando por Noé e sua arca (Interpretado magistralmente por John Huston), é seguido pela destruição da Torre de Babel e de Sodoma e Gomorra, e finalizado com a história de Abraão, sua esposa Sara e seu filho Isaac. Huston dirige o filme com maestria, em nenhum momento, apesar de quase três horas de duração, se torna cansativo, tem ótimo roteiro de Christopher Fry (1907-2005), que também trabalhou no roteiro de Ben-Hur, e ótima trilha sonora de Toshiro Mayuzumi (1929-1997). É talvez somente um pouco prejudicado pela fotografia, que se torna muito escura em determinadas cenas. Em linhas gerais, a produção, que é uma das mais impressionantes e bem realizadas obras sobre o velho testamento, resistiu bem aos efeitos do tempo, permanecendo hoje indicada tanto aos amantes dos grandes épicos quanto ao público contemporâneo e religioso. 

✩✩✩


A desobediência de Adão e Eva

Do Pó, o homem é criado
A arca de Noé

Adão e Eva sofrendo as consequências do pecado
Os irmãos Abel e Caim, e o primeiro assassinato da história
Os anjos do Senhor visitam Abraão
Abraão com seu filho Isaac
Abraão tem sua fidelidade provada por Deus
Cartaz original do filme

10 comentários :

  1. Interessante, Jefferson, que embora reconheça ser uma superprodução, ainda mais partindo de Dino de Laurentis e direção de John Huston (e teve outros diretores também), não é uma das obras que mais admire por inteiro, apesar da excelente fotografia e do elenco All-Star. Chega um momento que o filme vai perdendo o ritmo ao longo de suas três horas, fica lento.

    Já na época de seu lançamento, em 1966, o público já não vinha se interessando tanto pelas produções bíblicas, que em verdade, só justificaram suas realizações para entrar em concorrência com a TV, isto claro, na década de 50, e também pelo fator do público de então ser mais cativado pelas histórias religiosas. Com a mudança de comportamento do estilo americano já nos anos 60, as platéias queriam ver outros espetáculos, de preferência até menos moralistas.

    O Produtor Dino de Laurentis se deu melhor em BARRABÁS, de 1961, estrelado pelo grande Anthony Quinn e dirigido por Richard Fleischer, que em verdade é bem superior ao filme de Huston.

    Mas sem dúvida, "a Bíblia" é um bom filme pelos quesitos que falei acima, mas particularmente é um dos poucos que assisto com entusiasmo. Abraços

    Paulo Néry
    Filmes Antigos Club Artigos
    http://www.articlesfilmesantigosclub.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Fiquei decepcionado com esse épico, Jefferson. Muito ruim. Não sei qual o pior, A MAIOR HISTÓRIA DE TODOS OS TEMPOS, BARRABÁS ou esse. Foi uma derrapada do mestre Huston e um grande elenco desperdiçado.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  3. Paulo, Antonio, em partes concordo com vcs, inclusive eu até ia falar Paulo em meu texto sobre o desinteresse do público por esse tipo de filme nos idos dos anos 60, mas resolvi deixar quieto. Eu gosto muito desse filme confesso por seus primeiros trinta minutos, a criação do mundo e adão e eva, depois concordo, vai ficando lento e tal, mas Antonio, A MAIOR HISTÓRIA DE TODOS OS TEMPOS com certeza é o PIOR ÉPICO DE TODOS OS TEMPOS, a Biblia é um poquinho melhor em... kkkkk abração

    ResponderExcluir
  4. Ainda não vi este filme, mas fiquei curiosa porque são raras as produções que destacam o Antigo Testamento. A maior parte dos épicos bíblicos foi filmada na Cinecittá, o que lhes confere um belo visual, a exemplo do ótimo "Quo Vadis", que fala da época de Nero, um pouco depois de Cristo.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Jefferson!
    Confesso que ainda não assisti esse filme; mas pelo elenco, e até mesmo pela história em si, fiquei bastante interessada. Preciso ressaltar que adoro Ava Gardner! São poucos os filmes que tenho conhecimento que abordam este tema. Vou procurar.

    -Pois eu também fico triste pelo fato de não encontrar alguns filmes disponíveis em DVD. Por sorte, a Magnus Opus está lançando diversos clássicos. Quem sabe este (White Christmas) não entra na listinha em breve, não? Eu adoraria tê-lo em minha coleção.

    ResponderExcluir
  6. Meninas, Procurem ver A Bíblia, como puderam ver, o filme divide opiniões, quem gosta GOSTA, quem não gosta, NÃO gosta entendem? kkkk Abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá Jefferson

    Também acho que A MAIOR HISTÓRIA DE TODOS OS TEMPOS é a MAIOR BOMBA JAMAIS CONTADA. E olha que a metragem original do filme é de 260 minutos exibida na estréia nos EUA, em 1965. Roteiro e excesso de personagens prejudicou bastante este filme, e como se não bastasse, ainda colocaram John Wayne numa ponta ridícula. Todo mundo pensou que ele ia dar tiro na cruz, mas foi muito pior. Nem ele e nem o público merecia isto por parte de George Stevens, que perto do fim de sua carreira tentou dar uma de Cecil B DeMille (e nunca foi seu estilo).

    Por falar em DeMille, No meu espaço próximo artigo será sobre os 10 Mandamentos. Forte abraço.

    Paulo Néry
    http://www.articlesfilmesantigosclub.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Clássico, mas não sei se encantará os ateístas.

    ResponderExcluir
  9. como faço para assistir esse filme já procurei em todos os lugares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá DJ Orestes! Obrigado pela visita e por comentar! Quanto a sua dúvida, creio que você encontrará esse filme à venda, em DVD, nas lojas virtuais especializadas em clássicos, como o caso da www.dvdnostalgia.com.br e dvdworld.com.br. Sem dúvidas essas lojas disponibilizam o filme original. Existe também a possibilidade de você encontrá-lo em grandes lojas e livrarias como Americanas, Saraiva, etc...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...