quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

"Capitão Blood" (1935)

(Captain Blood) De Michael Curtiz, Com Errol Flynn, Olivia De Havilland, Basil Rathbone, Lionel Atwill, Ross Alexander, EUA - Aventura - P&B - Warner Bros. - 1935.

Nunca uma década produziu tantos filmes de aventuras de época no estilo “capa-espada” como a década de 1920. Astros como Douglas Fairbanks e John Barrymore se tornaram inclusive estereotipados interpretando Don Juan, Robin Hood e diversos outros do gênero. Durante a depressão de 1929 e com os estúdios a beira da falência esses filmes acabaram “saindo de moda”, pois como se tratavam de grandes e milionárias produções, era mais fácil e econômico lançar filmes contemporâneos e modernos com tramas se passando na atualidade. Em 1934 quando surgiu a Legião da Decência, (uma espécie de censura para os filmes considerados “imorais”) esses filmes que estavam em voga - retratando os dias atuais – encontraram muitos problemas com seus temas modernos e sempre recebiam negativas classificações, o que acabava refletindo nas bilheterias e também nas criticas. Os estúdios, sabendo que não encontrariam problemas com a censura nos filmes de época decidem trazer de volta esse gênero que até então já estava esquecido. 


De Havilland e Flynn, sucesso já em suas estréias

Lionel Barrymore e Robert Donat estrelaram os dois sucessos que trouxeram de volta o gênero “capa-espada” sendo respectivamente “A Ilha do Tesouro” (1934) e "O Conde de Monte Cristo" (1934)Diante do enorme sucesso alcançado a Warner Bros resolve comprar os direitos sobre a obra de Rafael Sabatini “Capitão Blood” e decide refilmar a história que já havia sido lançada em 1923 pela Vitagraph. A trama se passa no século XVII durante o reinado de James II na Inglaterra. Peter Blood (Flynn) que é um ex - marinheiro, decide ganhar a vida em paz exercendo a medicina até uma noite quando é chamado para socorrer um ferido envolvido em uma rebelião contra o rei, nesse momento os guardas de James II chegam e prendem-no sob acusação de traição. Condenado, ele segue como escravo para a colônia inglesa de Port Royal na Jamaica onde é comprado por capricho por Arabella Bishop (De Havilland) sobrinha do carrasco Coronel Bishop (Atwill). Certa noite quando a cidade é atacada por piratas espanhóis Blood e seus companheiros escravos escapam e tomam o navio salvando a cidade dos inimigos. Ao invés de receber as honras pela heroica façanha, eles decidem fugir,  lançando-se ao mar e transformando-se em piratas, espalhando terror por todo o caribe. Foi a primeira grande superprodução sonora de capa-espada lançado pela Warner. Michael Curtiz então contratado do estúdio (e que não se intimidava em dirigir todos os gêneros de filmes) fora escalado para dirigir aquele que seria em 1935 a grande aposta do estúdio de Burbank. 

Condenado o agora escravo Dr. Blood é examinado pelo coronel Bishop

Robert Donat foi o primeiro a ser convidado para interpretar Blood, mas para a surpresa da Warner o ator disse não. Fredric March e George Brent também receberam convite, mas estavam comprometidos com outros filmes. A esposa de Jack Warner sugeriu que testassem Errol Flynn um novo ator recém chegado da Inglaterra e que embora já estivesse sobre contrato com a Warner até então não havia feito nada a não ser pequenas aparições em curtas metragens. O Desafio foi aceito e Flynn saindo-se muito bem foi aprovado e aceito para o papel. Outra "quase" desconhecida fora escalada para estrelar o filme, Olivia De Havilland que assim como Flynn, também só havia feito pequenas pontas. Nunca até então na historia de Hollywood um filme chegava às telas sem uma estrela sequer no elenco, a Warner corajosamente apostou e em troca obteve grande êxito, pois o filme foi uma das maiores bilheterias daquele ano. A parceria Flynn e De Havilland deu tão certo que juntos estrelaram mais sete filmes e Flynn assim como outros no passado se tornou o maior estereótipo do herói das aventuras de época. Indispensável em qualquer coleção, o filme é hoje sem dúvidas um dos maiores clássicos do gênero, colocando no bolso os atuais Piratas do Caribe com seus exagerados efeitos especiais feitos pelos computadores.

✩✩✩✩✩

Blood as escondidas tenta ajudar os companheiros feridos
Atraída, Arabella  presta diversos favores a Blood, entre eles, torna-o médico do governador
Os sentimentos são evidentes
Peter Blood com a ajuda do destino consegue sua liberdade

Transformando-se no temível pirata, Capitão Blood
De posse do navio espanhol ele rege suas severas, porém justas leis 
O Pirata tem a oportunidade de "comprar" sua antiga "dona"
Errol Flynn se torna do dia para noite astro máximo em Hollywood
Olivia De Havilland em foto publicitária de Capitão Blood,  seu primeiro grande filme
Cartaz original do filme

10 comentários:

  1. Não sabia que havia sido feita uma versão em 1923. Gosto muito da perceria entre Errol e Olivia, eles estão ótimos também em "As aventuras de Robin Hood". A luta final deste filme é sensacional.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Grande post e grande filme, Jefferson!

    Capitão Blood é uma prova de que um grande clássico de aventuras dispensava os efeitos especiais, já que nem os eletrônicos tinha, muito menos por computador, ou seja, nos primórdios ainda era tudo manual. Não menosprezo, evidentemente, esta ou qualquer tecnologia técnica cinematográfica que venhamos a ter para o futuro- mas não é isso apenas que se faz um ótimo filme. Basta um roteiro elaboradamente eletrizante, um ótimo cineasta como Michael Curtiz (1886-1962), e um verdadeiro aventureiro como Errol Flynn, que não se tem no cinema moderno, aliás, nem chegam perto.

    A parceria ator/diretor entre Errol e Michael Curtiz foi tão certeira na Sétima Arte como foi entre John Wayne e John Ford. Sem dúvida aí a união fez a força.

    Abraços, Jeff

    Paulo Néry
    Filmes Antigos Club Artigos
    http://articlesfilmesantigosclub.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Amo Flynn. Olivia nem tanto. É meio chatinha. E O CAPITÃO BLOOD é um dos grandes filmes de aventura. Sensacional.

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
  4. Este filme já passou muitas vezes na tv aberta, mas sempre deixei para assistir depois.

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Jefferson; mas que post incrível sobre Errol Flynn. Confesso que não faz muito tempo que assisti este filme, no entanto, adorei. A partir de então, estou feito uma louca procurando os outros filmes dele. E aproveito o comentário do Antonio 'O CAPITÃO BLOOD é um dos grandes filmes de aventura. Sensacional'.

    ResponderExcluir
  6. Valeu Pelos Comentários Galera, Continuem deixando vossas opiniões...

    Hugo, sério que esse filme já passou muitas vezes na TV aberta? Nunca imagina isso.... pelo menos, na atualidade não imagina...

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Não vi esse Jefferson. Aliás não sou um bom conhecedor da carreira Errol Flynn, uma falha que tenho de consertar. Abraço e até a próxima!

    ResponderExcluir
  8. É muito bom aprender sobre estes clássicos!! Já tinha ouvido falar do Capitão Blood, mais nunca assisti! Com certeza foi procurar mais sobre o filme ;)

    ResponderExcluir
  9. Não assisti esse, camarada. Irei pôr na minha lista :"Preciso Vê-lo". Um abraço...

    ResponderExcluir
  10. Muito bem meu caro Jefferson que ama os clássicos e tem como não amar?
    Flynn, Barrymore e Fairbanks foram os mestres da capa-espada!

    Gosto de "Capitão Blood" assim como "As Aventuras de Robin Hood". Havilland e Flynn eram adoráveis em cena. Química absoluta.
    Perfeita década dos estúdios Warner.

    Abs.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...